Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

cidadeagar

UMA NO CRAVO OUTRA NA FERRADURA

cidadeagar

UMA NO CRAVO OUTRA NA FERRADURA

AGUIAR, PODER LOCAL, CIDADANIA E EDUCAÇÃO: CONDIÇÕES PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA VILA MELHOR

05.07.09, José Rocha

 Existe a necessidade urgente de descobrir uma nova dimensão para Aguiar, que possa estimular o potencial de desenvolvimento nas diferentes vertentes, especialmente o inter-relacionamento entre o poder local, cidadania e educação, com vista a alcançar uma vila protagonista do seu próprio progresso ao nível educativo, social e cultural.

 

Para avançar, é imprescindível conhecer e contar com os diferentes agentes que se comprometem no seu desenvolvimento: as pessoas, a Junta de Freguesia, as instituições educativas e as associações.

 

Todos os agentes devem contribuir para a consolidação de uma nova e melhor relação entre o poder local e as pessoas. Desta forma, torna-se mais justa e participativa, o que permite um enriquecimento das relações dos habitantes entre si e com o seu meio.

 

O poder local, exercendo as suas funções em grande proximidade com as pessoas, deve apelar à participação destas, para ganhar maior confiança no exercício das suas atribuições. Os eleitos locais são porta-voz dos interesses da comunidade, têm a responsabilidade directa de dar respostas imediatas às expectativas das populações, que são cada vez mais exigentes. O nosso tempo é marcado por uma crescente exigência de aproximação dos cidadãos, em relação àqueles a quem confiaram, pela eleição, a responsabilidade de resolver os problemas do seu bem-estar e da sua qualidade de vida. É tempo de uma nova ambição das populações, nas decisões que mais directamente as afectam.

 

Relativamente à vertente social, devem-se consertar esforços no sentido de chegar perto da população, auscultando-a com o intuito de saber os seus interesses e necessidades. Só desta forma, ou seja no contacto directo com as pessoas, se poderá ajudar a minimizar as dificuldades sociais existentes na vila. Deve-se ainda procurar suprimir a falta de informação existente a todos os níveis, potenciando-se o conhecimento e a divulgação das realidades da freguesia. Em articulação com a segurança social, dever-se-á desenvolver a formação gratuita, de forma a aumentar a empregabilidade da população.

 

Na educação urge que o poder local sinta a necessidade de encarar a escola como um projecto cultural, contando com a participação dos educandos, professores, funcionários, famílias e comunidade envolvente. Uma escola que, no ponto de vista das famílias, seja vista como um elemento fundamental no processo educativo; ou seja, só através de uma articulação entre a escola e a família poderá haver enriquecimento pessoal, curricular e humano da criança. A escola deverá ser incluída no meio onde está inserida, de forma a aproveitar as tradições, os costumes, a história, entre outros, usando como recursos a biblioteca, o centro cultural, os recintos desportivos. Só com esta articulação se pode complementar o processo educativo da criança e criar condições para um maior enraizamento da escola na comunidade.

 

Na saúde o poder local deve assumir um papel complementar, recolhendo informação dos utentes e das instituições que lhes prestam serviço, para depois melhorar o atendimento na unidade de saúde e possibilitar um atendimento ao domicílio, em colaboração com os Serviços de Saúde. Devem-se conhecer e tratar os dados estatísticos referentes às patologias que afectam a população em geral, tendo em conta a influência que factores como a habitação, o ambiente, os tempos livres e o desporto possam ter na saúde da população.

 

No desporto, articular a relação entre a Câmara Municipal e as associações, para que seja mais fácil a resolução das questões que são colocadas por estas últimas. Criar condições para a recuperação do Grupo Desportivo e Cultural de Aguiar, sendo este quem mais projectou a vila com os resultados obtidos nos campeonatos de futebol.

 

No urbanismo, informar a população de todos os passos que estão a ser dados na aquisição/transmissão de imóveis, para que esta possa opinar sobre as mesmas. É necessário abrir um debate público sobre o local da construção do polidesportivo coberto e questionar o porquê do estado de conservação em que se encontra o ringue, que tanto nos orgulha, já que faz parte da história de várias gerações de Aguiar. É justo levantar a questão da construção de duas piscinas cobertas nas freguesias deste Concelho que, ao realizarem-se, vão levantar um precedente, onde se coloca o problema da equidade de tratamento entre as três freguesias. Deve-se ainda procurar as ideias das pessoas sobre a forma de requalificar o Largo 25 de Abril.

 

Para finalizar, como é do conhecimento da comunidade, irão efectuar-se grandes investimentos do governo central no Distrito de Évora, que irão ser uma mais valia para Aguiar. Assim e para complementar estes benefícios, podia-se equacionar a construção de um centro cultural, com o objectivo muito ambicioso de colocar a vila como pólo de atracção ao nível cultural.

 

 

Joaquim António Casquinha

 

 

 

Convite para apresentação pública dos candidatos às Autárquicas 2009

01.07.09, José Rocha

Car@s Amig@s

 

A candidatura “Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança”, encabeçada por Bengalinha Pinto, irá apresentar publicamente os candidatos a integrar a equipa que vai concorrer aos Órgãos Autárquicos do Concelho de Viana do Alentejo.
 
A sua apresentação terá lugar no próximo dia 5 de Julho de 2009, pelas 18,30 horas, no Jardim Público de Alcáçovas.
 
Irão estar presentes destacados dirigentes do Partido Socialista: Eduardo Cabrita, Capoulas Santos, Carlos Zorrinho, entre outros.
 
Haverá animação musical com vários grupos corais e de música popular.
 
No final será oferecido um lanche convívio, aberto a todos, constituído por um porco assado no espeto.
 

Anexamos folheto publicitário deste evento.
 

Junta-te à festa!!!
 

Cumprimentos
 
Potes Pacheco / Bengalinha Pinto
 

Pág. 3/3